Museu temático – parte II

21 de novembro de 2010

Nesta minha última viagem o tema do museu foi o céu.

O tema foi escolhido quando eu fiquei vidrada no céu do Van Gogh.

Um mais louco que o outro:

Van Gogh não pintou, ele fazia um alto relevo de tinta muito doido!

A partir daí, foi um céu atrás do outro. Quis fazer uma comparação dos céus dos pintores…

Alguns quadros eu não sei quem pintou, soube na hora que tirei a foto, mas depois esqueci, mas o seu céu veio comigo e agora é meu.

Monet tem um céu super-especial:

Agora, o Magritte dá um show quando o assunto é céu…

E o mais louco do Magritte, The false mirror:

Lembrando sempre que não é permitido tirar fotos com flash nos museus.


Museu temático

24 de outubro de 2010
Adoro museus!

 

E tenho um jeito especial de tornar a visita a um deles ainda mais legal.

São as fotos temáticas de museu.

Essa ideia surgiu pra mim, no ano passado, quando fui pra Europa. E o tema da vez foi: BUNDAS.

As primeiras foram fotografadas em Munique. E  a estória era a seguinte: vale qualquer bunda, feminima, masculina, peluda, pelada… O importante era ser bunda.

Esta estava na frente de um museu

 

Na Pinacoteca de Munique eu fiz a festa!

Feminima

 

?

 

Esta eu acho que é uma de Rodin

 

No Louvre eu me esbaldei!

Curto muito arte greco-romana e como as esculturas estão sempre peladas, foi um delírio.

Peluda

 

De mulherzinha

 

Parece de homem

 

Bem arrebitadinha

 

De mulher

 

Este é o cofrinho da Vênus de Milus

 

Óóóóóó

 

De mulherzinha, com certeza...

Estou falando disso porque dei continuidade às minhas aventuras “bundísticas” no Met e no MoMA em Nova York e criei novos temas (céus e cabelos), que vão virar posts.

Bundinhas de ninfas

 Meu erro foi não ter tirado uma foto da descrição de cada obra, até pra eu saber do que estou falando. Isso eu só aprendi no fim da última visita a um museu.

Bunda com saquinho de nozes

Bunda no MoMA

A vida é o que fazemos dela, observar o mundo e tudo o que foi criado por outros seres humanos pode nos dar novas ideias para melhorar nossas vidas e a dos outros, por isso:   INVENTE SEU TEMA E VÁ AO MUSEU!


Brasília

24 de abril de 2010

Brasília fez 50 anos.

Dos quais 17 comigo, se é que podemos falar assim.

E um fim de semana antes das comemorações saí para fotografar a cidade.

Constatei que a cidade estava aos pedaços… Quer dizer, em obras… Tudo quebrado, nada fotogênico…

Levei minha Diana F e a minha digitalzinha.

Ainda não revelei as fotos da Diana F, mas as da digital ficaram bem legais:

Museu nacional - olho de peixe

 Foi o primeiro fim de semana de céu azul depois de uma temporada de chuva e cinza.

Passei pela praça dos Três Poderes, mas estavam consertando o piso, o Panteão estava em obras, assim como o Palácio do Planalto.

A catedral estava coberta por uma lona…

Segui para o Museu Nacional.

Museu Nacional

 De lá só restou o Memorial JK porque o elevador da Torre de TV estava quebrado…

Memorial JK

Esferóide de Darlan Rosa

O que eu aprendi com tudo isso?

Que Brasília é o espelho do Brasil, um país aos pedaços, remendado e mal acabado. Um país que é ao mesmo tempo lindo.

Brasília: um verdadeiro paradoxo.


Lomography

28 de março de 2010

Depois de confirmar que minha máquina de plástico funciona, fui atrás de mais informações sobre ela. Acabei encontrando um site da própria fabricante e me cadastrei, claro.

Link:

http://www.lomography.com.br/

Começo a perceber que muitas pessoas são fãs desta velha tecnologia e estão se divertindo com suas máquinas.

Pra me divertir estou tendo que ir um pouco mais longe. Aqui em Brasília não se vende filme de 120mm, comprei em Curitiba uns rolinhos de P&B, na Diafilme. Já entregaram. Estou esperando a seca começar pra fotografar os monumentos de Brasília.


Celular na Europa

10 de março de 2010
 

Não não não…

Não era pra ligar pra ninguém ,não…

Não habilitei o celular no Brasil antes de viajar.

Levei o celular como MP3 e acabei tirando umas fotos… Tinha até esquecido delas, mas quando o cartão de memória do celular encheu, percebi as fotos superlegais que tirei.

Torre Eiffel do ponto de vista do celular

Mais uma...

...e mais uma...

Do total de quase 15… Hihihihihi

Depois ,vou confessar que esqueci do celular – função máquina fotográfica, o celular só ficou tocando música em nossas casas na Europa.

O problema é que minha máquina fotográfica tropical não aguentou o frio. Não senti falta da máquina durante a viagem, pois havia outras máquinas à disposição, mas quando estava indo de Ljubljana para Munique, sozinha, a máquina deu pau de novo, e eu estava prestes a atravessar os Alpes…

Muita emoção nessa hora e poucos pixels… 

Alpes ao longe

E os Alpes foram chegando…

E as vaquinhas?

E esse céu?

Pausa para um lanchinho…

Lunch time

E eles chegaram…

Tão bucólicos esses Alpes...

My place

Minha mochila, meu casaco, meu cachecol, meu elástico de cabelo e uma deliciosa Schweppes Ginger Ale (o sucesso da viagem, seguida de perto pela não menos gostosa Fanta Lémon).


Ponto de vista

8 de março de 2010

Ganhei de presente de aniversário da Carol e da Carlinha uma supermáquina fotográfica manual – DIANA F.

Uma maquininha superespecial: utiliza filme de 120mm – não é encontrado aqui em Brasília, supermanual – controle bem tosco da abertura e da distância focal. E o presente ainda foi mais completo, veio com uma fantástica lente olho de peixe com 20mm.

Resultado?

Vamos conferir:

Diana F na praia de Carneiros

Coqueiral

Coqueiral

Carneiros do ponto de vista do olho de peixe

Visú

Doidêra!

Adorei o presente, adorei o resultado!

Já comprei mais filmes (via internet) pra brincar mais! Aguarde, dentro em breve – mais precisamente depois que começar a seca e o céu de Brasília ficar ainda mais lindo – fotos de Brasília…